Universidade do Minho promove qualidade alimentar

O Departamento de Engenharia Biológica da Universidade do Minho (UM) está preocupado com a falta de coordenação entre os organismos responsáveis pela fiscalização e controlo da qualidade alimentar e com algumas lacunas existentes na preparação mais especializada dos técnicos responsáveis por essas funções. Em causa estão as queixas dos consumidores e algumas notícias recentes vindas a público que dão conta de inspecção na área alimentar.
“Há um défice enorme no controlo de qualidade alimentar e que é assumido até pelas próprias entidades responsáveis” pela fiscalização dessa qualidade, afirma Miguel Costa, responsável pelo Secretariado daquele departamento de engenharia da Universidade do Minho.

Por isso, “a coordenação é muito importante”, diz Miguel Costa, referindo-se também, e de forma positiva , à criação de uma agência para a qualidade alimentar, centralizadora da acção dos vários organismos de fiscalização existentes, anunciada recentemente pelo Governo. “É necessário promover uma grande coordenação de esforços entre as várias entidades resposáveis” pela fiscalização da qualidade dos produtos alimentares no nosso país, entre elas a Inspecção-Geral das Actividades Económicas (IGAE), a Direcção Geral de Fiscalização e Controlo da Qualidade Alimentar (DGFCQA) e a Direcção–Geral de Veterinária, reiterou Miguel Costa.

Por outro lado, e de acordo com o mesmo responsável, é necessário “incentivar a implementação de mecanismos de auto controlo” em todos os locais em que tal se mostre necessário (unidades industriais, unidades de venda, armazéns de distribuição, entre outros), por forma a que todos se sintam co-responsáveis neste processo.

O departamento de Engenharia Biológica da UM chama igualmente a atenção para as recentes campanhas de fiscalização levadas a cabo pelas entidades competentes na matéria e que resultaram na instauração de um total de 436 processos e na aplicação de 876 coimas ao mesmo tempo que foram apreendidas 2701 toneladas de produtos vegetais e 3709 toneladas de produtos animais.

Acção de sensibilização na UM
Com forma de sensibilizar todos os intervenientes na indústria, comercialização e distribuição de produtos alimentares e também o público consumidor geral, o departamento de Engenharia Biológica da Universidade do Minho, vai promover uma acção de sensibilização no próximo dia 29 de Junho, nas instalações daquele departamento. É que “a qualidade alimentar é um assunto muito em voga hoje em dia e nós queremos sensibilizar a todos para a temática da higiene e qualidade alimentar, disse-nos Miguel Costa.