Encontro de Jovens Biotecnólogos em Braga

“Um mundo sem fronteiras” em debate A Universidade do Minho vai acolher entre os dias 4 e 6 de Maio, em Braga, as II Jornadas de Engenharia Biológica/I Encontro de Jovens Biotecnológos, subordinadas ao tema “Gerir um mundo sem fronteiras ...”
A iniciativa, promovida pelo Núcleo de Estudos de Engenharia Biológica (NEEB) e com cenário escolhido no Campus de Gualtar, conta com a participação de variadas individualidades desde docentes daquela universidade e outras personalidades do campo das engenharias alimentar e ambiental e dos ramos ligados à biotecnologia.

Cerca de 100 alunos, oriundos de Bragança, Aveiro e o Instituto Superior Técnico de Lisboa, vão participar nas sessões, pelo que a presença dos estudantes da U.M. está limitada a 150 inscrições. Por esta facto, os alunos promotores da acção resolveram introduzir um sistema de video conferência.

A escolha da temática das jornadas prende-se com a actual globalização existente na aplicação da Biotecnologia em processos até agora exclusivos de outras ciências, a crescente interdisciplinaridade, a velocidade de circulação e partilha de informação aliadas à impossibilidade de se atingir o conhecimento pleno. Os problemas éticos e legais que se levantam, a criação de grupos de trabalho internacionais que visam atingir o mesmo fim consistem também em alguns pontos que conduziram os estudantes universitários a optar por aquele tema.

A ideia do evento passa, segundo comunicado da organização, por “abrir os horizontes aos recém-licenciados no que se refere às opções de trabalho e em estratégias de relacionamento com a empresa, bem como aliciar os discentes dos cursos biotecnológicos nacionais para os seus primeiros passos num «mundo sem fronteiras”.

O encontro inicia-se às 15H00, altura destinada à entrega de documentação, seguindo-se a cerimónia de abertura. Por volta das 17H30, acontece o primeiro debate intitulado “Situação ambiental da Região Norte” que conta com a participação da UM, António Brito, do director da Associação dos Munícipios do Vale do Ave, Martins Soares, bem como dos representantes da Associação Industrial do Minho, Capa Pereira, da Associação dos Municípios do Vale do Cávado,  Helena Magalhães e o presidente da Comissão Instaladora da Inspecção Geral do Ambiente, António Leones Dantas.

Para o segundo dia, cerca das 9H00, está agendado o primeiro painel, designado “Novas técnicas de análise para o controlo de qualidade”, sendo ainda levada a cabo, duas horas depois, a apresentação de projectos. Da parte da tarde, o progarama oferece mais dois painéis – “Sistemas de gestão ambiental/ISO, s”e “Biotecnologia aplicada à Medicina e à Biofarmacêutica

Nestes painéis marcam presença representantes da Associação Portuguesa de Certificação, Gabriela Pinheiro, do Instituto Ricardo Jorge, Isabel Campos Cunha, do Instituto Português de Qualidade, Ramos Pires, Sociedade Ponto Verde, SA, Manuel Pássaro, da Indústria Têxtil do Ave, SA, Eugénio Oliveira, assim como o presidente da Associação Portuguesa das Bio-Indústrias, Pedro de Noronha Pissara.

“Aplicações dos Organismos Geneticamente Modificados na Industria” é o tema do segundo debate das jornadas. Aqui os oradores são, o representante da Direcção Geral do Ambiente, Jorge Nascimento Fernandes, os professores da Universidade do Minho, José Teixeira, Margarida Casal e Armando Venâncio.

No dia 6 decorrem os restantes painéis e debates. O quarto painel “Tratamento de resíduos sólidos e perigosos” está marcado para as 9H00, pelo que às 11H10 a organização realiza o terceiro debate “Ética, Bioética, Legalidade”.

O quinto painel “Relações Empresa-Jovem Licenciado” começa às 15H00, seguindo-se, duas horas depois, o sexto painel “Biotecnologia: passado, presente e futuro”.