MIEB - Mestrado Integrado em Engenharia Biológica


Informação Geral

Brochura - A Engenharia Biológica na Universidade do Minho [ aqui ]

O que é a Engenharia Biológica?
Ver vídeo sobre "Engenharia Química e Biológica" da Ordem dos Engenheiros.
Engenharia é a arte de aplicar princípios científicos (matemáticos por exemplo), experiência e senso comum, de forma a beneficiar o Homem. Os Engenheiros são pessoas que solucionam problemas, procurando as melhores formas, mais rápidas e menos dispendiosas de utilizar matérias-primas e forças da Natureza para responder a desafios. Através dos anos, desde a construção das pirâmides no Egito até à chegada à Lua, os Engenheiros têm sido o rosto do progresso.
A Engenharia Biológica está na interface entre as Ciências da Vida e de Engenharia. Isto é, a Engenharia Biológica é a integração das Ciências Naturais e das Ciências de Engenharia com vista à aplicação industrial de organismos, células, partes de células e seus constituintes moleculares para a obtenção de produtos e serviços.

Qual é a diferença entre a Engenharia Biológica e a Biologia?
A Engenharia Biológica aplica os conhecimentos da Biologia de forma a tirar partido de organismos vivos e seus constituintes para usufruto da Sociedade. Inclui-se nos seus objetivos a resolução de problemas ambientais, a produção de bens alimentares, farmacêuticos, químicos e afins... Esta convergência de conhecimentos estabelece-se no plano curricular do curso em que existem disciplinas de Biologia e de Engenharia.
Por exemplo, na Biologia estuda-se o metabolismo de uma levedura e descobre-se que esta produz um novo metabolito com interesse para o Homem. Na Engenharia Biológica estuda-se a forma mais económica e eficiente de o produzir em grande quantidade, minimizando o impacte ambiental.

Porquê estudar Engenharia Biológica?

  • Satisfação Profissional:
    Na vida, a satisfação profissional é muito importante uma vez podes passar 40 anos ou mais a trabalhar 8 horas ou mais por dia, 5 dias por semana e 50 semanas por ano. Devido a várias razões, algumas das quais estão listadas em baixo, a Engenharia Biológica é uma área de trabalho com boas perspetivas de satisfação profissional.
  • Variedade de Oportunidades de Carreira:
    As capacidades analíticas e o conhecimento tecnológico que desenvolves e adquires como Estudante de Engenharia Biológica podem ser utilizados noutras áreas. Por exemplo podes tornar-te empreendedor em áreas afins. “Existem atualmente diversas Empresas criadas por Engenheiros Biológicos da UM que empregam outros Engenheiros Biológicos”.
  • Boa Empregabilidade:
    O número de graduados em Engenharia Biológica pela Universidade do Minho inclui 543 Licenciados pré-Bolonha (1986 a 2006) e 348 Mestres (2007 a 2013). A boa empregabilidade do curso justifica que a percentagem de desempregados seja muito inferior à taxa de desemprego corrente.
  • Atualidade:
    A área de estudo da Engenharia Biológica encontra-se em pleno desenvolvimento.
  • Trabalho Estimulante:
    Se gostas de desafios, a Engenharia Biológica pode ser a tua carreira. Geralmente os problemas de Engenharia do “mundo real” são muito diferentes dos que resolves na escola. Na escola, os problemas têm uma única resposta correta. Quando entras no mundo da Engenharia os problemas deixam de ter uma única solução. Ser-te-á pedido para encontrares uma solução e convenceres os outros que a tua é a melhor.
  • Desenvolvimento Intelectual:
    Uma educação em Engenharia permite “exercitar” o teu cérebro, desenvolvendo a capacidade de pensar de forma lógica e de resolver problemas. Estas capacidades ser-te-ão úteis ao longo da vida e não apenas quando estás a resolver problemas de Engenharia. Por exemplo, como planear umas férias, encontrar um trabalho, comprar casa, escrever um livro...
    Num inquérito realizado aos Engenheiros Biológicos 82 % dos inquiridos referiram que o curso de Engenharia Biológica contribuiu de forma significativa para a sua valorização pessoal.
  • Autonomia Profissional:
    Como Engenheiro terás algum poder de decisão na forma como efetuas o teu trabalho, podendo influenciar o que acontece na tua empresa.
  • Cultura Científica e Tecnológica:
    O elevado número de disciplinas laboratoriais do curso permite que os conhecimentos adquiridos nas disciplinas teóricas sejam observados e testados na prática, permitindo uma cultura científica e tecnológica mais sólida. Por outro lado, o conhecimento que adquires durante o teu curso pode ajudar-te a compreender melhor os fenómenos da Natureza e da Sociedade.
  • Contribui para o Benefício da Sociedade:
    Tudo o que o Engenheiro Biológico faz traz benefícios para a sociedade, desde o tratamento de resíduos à produção de bens de consumo...
  • Pensamento Criativo:
    Engenharia é, devido à sua natureza, uma profissão criativa. Se gostas de questionar, explorar, inventar, descobrir e criar então Engenharia Biológica pode ser a profissão ideal para ti.


    Capacidade:
  • 50 Estudantes

    Duração do Curso:
  • 5 Anos (10 Semestres)

    Propina:
  • 1037,20 € /ano (a pagar conforme Despacho RT-69/2013, disponível no portal académico)

    Regime:
  • Laboral

    Acreditação:
  • O programa de mestrado é credenciado pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES) (Ver a acreditação aqui).

Informações para Candidatos

Condições de Acesso:

    Ao referido boletim deverá anexar obrigatoriamente os seguintes documentos (em fotocópia ou em versão pdf por email):
  • Código da Universidade do Minho: 1000
  • Código do Mestrado em Engenharia Biológica: 9358
  • Provas de ingresso: Física e Química (07) e Matemática A (19)
Vagas (numerus clausus): 42
(Até 2011/2012: Matemática (16) ou Biologia Geologia(02) e Matemática (16) ou Física e Química (07) e Matemática (16) )

Estatísticas das candidaturas de acesso ao Mestrado Integrado em Engenharia Biológica

Ano Nº de
vagas
Candidatos Nº de
colocados
Nota do último
colocado
Nota do
1º colocado
Média dos
colocados
1ª fase 2ª fase 1ª fase 2ª fase 1ª fase 2ª fase 1ª fase 2ª fase 1ª fase 2ª fase
2017/2018 42 186 42 140,0
2016/2017 50 161 19 50 2 129,4 139,4 183,8 160,8 144,6 150,1
2015/2016 50 134 28 34 16 122,6 114,4 167,4 170,6 145,8 135,3
2014/2015 50 116 38 36 17 126,4 121,2 171,6 163,0 148,2 142,4
2013/2014 50 169 28 48 9 126,8 118,2 180,0 151,4 148,8 132,4
2012/2013 55 229 34 55 8 144,6 145,2 176,8 178,2 158,1 154,7
2011/2012 55 208 46 55 10 150,2 145,4 182,8 160,2 163,3 151,8
2010/2011 55 290 49 55 12 157,4 145,0 180,0 160,2 165,8 150,9
2009/2010 55 243 40 55 16 157,6 139,0 188,4 179,2 166,1 157,8
2008/2009 55 460 53 55 8 166,6 158,8 183,8 178,0 172,1 163,5
2007/2008 55 379 97 55 8 149,8 157,6 179,2 179,4 159,7 167,9
2006/2007 55 200 76 55 9 133,0 148,8 175,2 159,6 148,0 152,8

Estatísticas das candidaturas de acesso à Licenciatura em Engenharia Biológica

Ano Nº de
vagas
Candidatos Nº de
colocados
Nº de
ingressos
Nota do último
colocado
Nota do
1º colocado
Média dos
colocados
2005/2006 55 175 55 47 13,02 16,74  
2004/2005 55 270 55 55 13,34 17,96 14,60
2003/2004 55 191 55 45 12,22 18,22 13,79
2002/2003 55 232 55 45 13,34 16,14 14,27
2001/2002 55 169 55 55 12,44 18,80 14,31
2000/2001 55 495 55 42 13,13 15,58 14,21
1999/2000 55 267 55 42 12,95 18,00 14,32
1998/1999 55 355 55 47 14,30 17,50 14,94
1997/1998 55 500 55 46 13,90 18,00 14,95
1996/1997 50 448 50 44 11,82 18,00 12,81
1995/1996 40 502 40 38 10,96 11,88
1994/1995 40 339 40 39 9,00   10,10
1993/1994 40 339 40 38 10,36   11,34
1992/1993 30 364 30 30 13,64   14,80
1991/1992 30 439 30 30 13,24   14,22
1990/1991 30 502 30 30 13,24   13,92
1989/1990 30 179 30 30 11,06   12,56
1988/1989 18            
1987/1988 15            
1986/1987 15            
(valores da 1ª fase do concurso nacional, contingente geral)

Detalhes do Curso na DGES: aqui

Perfil de Formação

A formação em Engenharia Biológica, com uma forte componente em Engenharia Química, visa formar "Engenheiros de Processo" para indústrias ou serviços onde predominem os processos biológicos, ambientais, químicos ou físico-químicos.
Serão profissionais habilitados para colaborar nos setores de despoluição e do controlo de qualidade dessas indústrias/serviços, ou a ingressar numa carreira de investigação nos domínios atrás citados.
As suas áreas de intervenção específica situam-se em domínios multidisciplinares das Ciências e Tecnologias Biológicas e Químicas, nas Indústrias de Fermentação, Farmacêutica e Agroalimentar, na Indústria Química e nas áreas Biomédica e Ambiental.

    A formação dos Engenheiros Biológicos é assente:
  • Numa sólida formação em ciências de base afins aos domínios da Engenharia Biológica;
  • Num profundo conhecimento das unidades curriculares da área, combinando adequadamente aspetos teóricos e práticos;
  • Na exploração de novas metodologias de ensino-aprendizagem.

    Espera-se que o aluno no final do Mestrado Integrado em Engenharia Biológica, tenha adquirido um conjunto de competências gerais que lhe permitam:
  • Especificar, conceber e implementar processos biotecnológicos;
  • Diagnosticar e intervir em sistemas organizacionais e sociais, utilizando e valorizando as oportunidades tecnológicas da sua especialidade;
  • Resolver problemas de forma estruturada e rigorosa;
  • Abordar de forma interdisciplinar problemas de engenharia biológica, enquadrando-os nos respetivos contextos técnico-científico, económico, social e ambiental.

    Os Engenheiros Biológicos serão capazes de demonstrar:
  • Criatividade para gerar e aprofundar soluções e/ou produtos inovadores ao nível técnico e funcional;
  • Atitude pró-ativa face à mudança, enquadrando-a nos contextos do desenvolvimento económico e da competitividade internacional;
  • Capacidade de comunicar, de forma sucinta e racional, os resultados do seu trabalho a audiências técnicas e/ou generalistas;
  • Liderança e empreendedorismo;
  • Capacidade de trabalho em equipa e em rede;
  • Consciência de cidadania e atuação ecossustentável.


Saídas Profissionais

    Os Engenheiros Biológicos podem optar por diferentes tipos de atividades profissionais, incluindo:
  • Projeto Se és imaginativo e criativo, Engenharia de Projeto pode ser a tua área.
  • Análise O Trabalho do Engenheiro de Análise recorre mais ao raciocínio dedutivo.
  • Investigação Se estás interessado em descobrir novos conhecimentos podes considerar um carreira como Engenheiro de Investigação.
  • Desenvolvimento Se gostas de organizar e desenvolver projetos considera a possibilidade de te tornares um Engenheiro de Desenvolvimento.
  • Comercial A área comercial poderá ser uma opção no caso de seres persuasivo e gostares de conviver.

    Estas atividades poderão ser desenvolvidas nos seguintes setores:
  • Alimentar
  • Ambiental
  • Químico
  • Farmacêutico

    Seguem-se alguns exemplos de saídas profissionais:
  • Indústrias alimentares com processos fermentativos (cerveja, vinho, laticínios,...).
  • Indústrias alimentares com processos essencialmente físicos ou físico-químicos (bolachas, massas, sumos, óleos alimentares,...).
  • Indústria farmacêutica (antibióticos, esteroides,...).
  • Indústrias da celulose, dos curtumes, da cortiça, da madeira.
  • Indústrias químicas, em geral (orgânicas e inorgânicas).
  • Indústrias de água, estações de tratamento de água (ETAs) e estações de tratamento de águas residuais (ETARs).
  • Empresas de tratamento de resíduos.
  • Laboratórios de análises.
  • Empresas de consultadoria.
  • Empresas de comercialização de material científico e tecnológico.
  • Investigação científica.

Plano de Estudos

  • Instituição Educacional: Universidade do Minho
  • Unidade Orgânica: Escola de Engenharia
  • Ciclo de Estudos: Engenharia Biológica
  • Grau ou Diploma: Mestrado
  • Principal Área Científica do Programa: Engenharia Biológica
  • Número de créditos, de acordo com o sistema europeu de transferência de créditos, obrigatórios para concluir: 300 ECTS (60 ECTS por ano)
  • Duração normal do curso: 5 Anos (10 Semestres)
  • Regime: Laboral


Estrutura do Programa

1.º Ano

Unidades Curriculares Área Científica Semestre Regime ECTS Departamento
Cálculo EE CB T-30 TP-30 5 Matemática
Álgebra Linear EE CB T-30 TP-30 5 Matemática
Computação e Programação CB T-15 TP-30 5 Informática
Sistemas de Representação Gráfica EQB T-15 PL-15 5 Engenharia Biológica
Química Analítica CB T-30 TP-15 5 Química
Laboratórios Integrados de Química CB PL-60 5 Química
Análise Matemática EE CB T-30 TP-30 5 Matemática
Química Orgânica EE CB T-30 TP-30 5 Química
Biologia Celular e Molecular CB T-45 5 Biologia
Introdução à Engenharia de Processo EQB T-30 OT-15 5 Engenharia Biológica
Física CB T-30 TP-30 5 Física
Laboratórios Integrados de Física CB PL-60 5 Física
Total 60

2.º Ano

Unidades Curriculares Área Científica Semestre Regime ECTS Departamento
Microbiologia CB T-45 5 Biologia
Complementos de Análise Matemática EE CB T-30 TP-30 5 Matemática
Termodinâmica Química EQB T-30 TP-30 5 Engenharia Biológica
Eletromagnetismo EE CB T-30 TP-30 5 Física
Fenómenos de Transferência I EQB T-45 TP-15 5 Engenharia Biológica
Laboratórios Integrados de Biologia CB PL-60 5 Biologia
Bioquímica e Fisiologia Microbianas CB T-45 5 Biologia
Química-Física EQB T-30 TP-15 5 Engenharia Biológica
Métodos Numéricos EIS T-30 TP-30 5 Produção e Sistemas
Métodos Estatísticos EE CB T-60 5 Matemática
Fenómenos de Transferência II EQB T-30 TP-15 5 Engenharia Biológica
Laboratórios de Fenómenos de Transferência EQB PL-60 5 Engenharia Biológica
Total 60

3.º Ano

Unidades Curriculares Área Científica Semestre Regime ECTS Departamento
Processos de Separação I EQB T-30 TP-15 5 Engenharia Biológica
Engenharia da Reacção Química I EQB T-22.5 TP-15 PL-7.5 5 Engenharia Biológica
Biologia Molecular Aplicada CB T-45 5 Biologia
Engenharia dos Sistemas Processuais EIS T-30 TP-15 PL-15 5 Produção e Sistemas
Engenharia Enzimática EQB T-30 TP-15 5 Engenharia Biológica
Laboratórios de Tecnologia Química EQB T-7.5 PL-67.5 5 Biologia
Processos de Separação II EQB T-45 5 Biologia
Engenharia da Reacção Química II EQB T-30 TP-15 5 Engenharia Biológica
Tópicos Complementares EQB T-30 TP-30 5 Engenharia Biológica
Engenharia Económica EIS T-60 5 Matemática
Engenharia Bioquímica EQB T-30 TP-15 5 Engenharia Biológica
Laboratórios de Bioprocessos EQB PL-60 5 Engenharia Biológica
Total 60

4.º Ano - Ramo "Tecnologia do Ambiente"

Unidades Curriculares Área Científica Semestre Regime ECTS Departamento
Elementos de Qualidade e Fiabilidade EIS T-30 TP-15 5 Produção e Sistemas
Estratégia em Engenharia de Processo EQB T-15 TP-15 PL-15 5 Engenharia Biológica
Elementos de Engenharia do Ambiente EQB T-30 TP-15 5 Engenharia Biológica
Tratamento de Água e Efluentes Líquidos EQB T-30 TP-15 PL-15 5 Engenharia Biológica
Laboratórios de Tecnologia Ambiental EQB T-7.5 PL-82.5 10 Engenharia Biológica
Controlo e Instrumentação de Processos EQB T-30 TP-75 OT-7.5 5 Engenharia Biológica
Projeto em Engenharia de Processo EQB T-7.5 SE-15 OT-7.5 10 Engenharia Biológica
Poluição do Ar EQB T-30 TP-15 5 Engenharia Biológica
Tratamento de Resíduos Sólidos EQB T-30 TP-15 5 Engenharia Biológica
Gestão Ambiental EQB T-45 5 Engenharia Biológica
Total 60

4.º Ano - Ramo "Tecnologia Química e Alimentar"

Unidades Curriculares Área Científica Semestre Regime ECTS Departamento
Elementos de Qualidade e Fiabilidade EIS T-30 TP-15 5 Produção e Sistemas
Estratégia em Engenharia de Processo EQB T-15 TP-15 PL-15 5 Engenharia Biológica
Ciência e Engenharia dos Alimentos EQB T-30 TP-15 5 Engenharia Biológica
Biotecnologia Alimentar EQB T-52.5 TP-7.5 5 Engenharia Biológica
Laboratórios de Tecnologias Alimentares EQB T-90 10 Engenharia Biológica
Controlo e Instrumentação de Processos EQB T-30 TP-75 OT-7.5 5 Engenharia Biológica
Projeto em Engenharia de Processo EQB T-7.5 SE-15 OT-7.5 10 Engenharia Biológica
Serviços Industriais EQB T-45 5 Engenharia Biológica
Química Fina Industrial EQB T-45 5 Engenharia Biológica
Higiene e Segurança Alimentar EQB T-45 5 Engenharia Biológica
Total 60

5º Ano (Ambos os Ramos)

Unidades Curriculares Área Científica Semestre Regime ECTS Departamento
Opção de Engenharia Biológica I EQB T-45 5 Engenharia Biológica
Opção de Engenharia Biológica II EQB T-45 5 Engenharia Biológica
Opção de Engenharia Biológica III EQB T-45 5 Engenharia Biológica
Opção de Engenharia Biológica IV EQB T-45 5 Engenharia Biológica
Projeto Individual em Engenharia Biológica EQB T-7.5 OT-7.5 SE-30 5 Engenharia Biológica
Opção UMinho QAC Variável 5 Variável
Dissertação em Engenharia Biológica EQB OT-7.5 30 Engenharia Biológica
Total 60
  • Áreas Científicas
    CE - Ciências de Engenharia
    EIS - Engenharia Industrial e Sistemas
    EQB - Engenharia Química e Biológica
    CB – Ciências Básicas
    QAC – Qualquer Área Científica
  • Tempo de Contato
    T - Teóricas
    TP - Teórico-práticas
    PL - Prática Laboratorial
    OT - Orientação Tutórica
    SE - Seminários

Listagem de opções disponíveis:
  • Bioinformática e Biologia de Sistemas
  • Bionanotecnologia Aplicada
  • Biotecnologia Molecular
  • Empreendedorismo em Biotecnologia e Bioinformática
  • Energia e Ambiente
  • Enologia
  • Food Mycology
  • Modelação de Sistemas Ambientais
  • Produtos e Processos Limpos
  • Tecnologias Ambientais

Notas:
  • O de trabalho total correspondente ao número de créditos ECTS multiplicado por 28 h.
  • O tempo total de trabalho semestral é sempre 840 h.
  • Em cada ano letivo, é oferecido um grupo de UCs (das listadas na tabela), das quais os alunos escolhem as 4 Opções em Engenharia Biológica.

Dissertação

A ‘Dissertação’ rege-se por articulados específicos, compreendendo os seguintes procedimentos (válidos a partir de 26 de julho de 2016):
Admissão à Dissertação

  1. O pedido deverá ser formalizado através da apresentação do documento de admissão à dissertação, dirigido dirigido ao Conselho Científico da Escola de Engenharia juntamente com o plano de trabalhos.
  2. A admissão à dissertação e o plano de trabalhos devem ser enviados/entregues à Direção de Curso, DC, em formato digital (pdf), onde se dispensam as assinaturas, e em papel com as assinaturas pertinentes: aluno, orientador e supervisor na empresa.

Seguro Escolar
O seguro escolar cobre as viagens para e do local da dissertação, bem como da permanência na empresa. O número da apólice e outra Informação sobre o seguro pode ser encontrada em: SAS UMinho. Qualquer assunto/declaração relacionados devem ser tratados junto dos SASUM.

Requerimento de Provas
  1. A realização das provas da dissertação pressupõe a entrega do respetivo requerimento de provas. É dirigido à DC e entregue na secretaria do DEB. Deve ser acompanhado por um exemplar da dissertação (em língua portuguesa, francesa ou inglesa), em papel, sem formatação ou encadernação especial, e pelo envio de um exemplar em formato digital (word ou pdf) para a DC, por email (de preferência), ou em CD. Outros exemplares devem ser entregues ao(s) orientador(es) e supervisor na empresa, de acordo com as respetivas instruções.
    Os alunos que realizam a dissertação inseridos no Programa Erasmus não entregam este requerimento de provas se forem atribuídos 30 créditos ECTS (avaliação a cargo da empresa, do orientador, do coordenador Erasmus e do SRI). Se forem 25 créditos ECTS, devem entregar o requerimento apenas para efeitos de emissão de pauta.
  2. A marcação das provas será acertada entre a DC e o candidato, o orientador e o supervisor, passando pela nomeação de um júri, marcação do dia da prova e publicação do edital.
    a. Nomeação do júri
    1. O júri será composto por pelo menos três elementos, incluindo o orientador e o supervisor e um elemento externo (alguém externo à Escola de Engenharia que confere o grau e à empresa onde o trabalho se desenvolveu), exceto em situações devidamente fundamentadas;
    2. A presidência do júri será assegurada por um elemento DC ou por um seu substituto mandatado pelo Presidente da Comissão Científica do DEB;
    3. O júri é nomeado pelo Presidente da Comissão Científica do DEB.

    b. Marcação das provas (publicação de edital)
    1. As provas públicas serão concentradas no tempo, ocorrendo, na maioria, na segunda quinzena de novembro e primeira semana de dezembro;
    2. Após marcação das provas, será publicado o edital com todos os dados.
  3. No final da defesa pública, o júri anunciará a sua classificação. Havendo aprovação, definitiva ou condicionada às correções solicitadas, o candidato deve entregar um exemplar impresso à DC. As eventuais alterações sugeridas pelo júri devem ser previamente validadas pelo orientador.
    Na formatação da dissertação devem ser atendidas as normas previstas em despacho reitoral.
    Juntamente com a dissertação em papel (que deve conter na encadernação a declaração para o RepositóriUM, na página seguinte à declaração sobre autorização de reprodução), deve entregar um exemplar em CD (contendo todo o conteúdo do exemplar impresso). O CD é acompanhado por um exemplar impresso da declaração para o RepositóriUM. O dissertando assina esta declaração, cujo conteúdo, quanto ao estatuto selecionado, deve refletir o acordo entre o dissertando, o orientador e o supervisor. Depois de assinada, deve ser digitalizada para envio do respetivo pdf à DC. Se o estatuto selecionado for o 4 (embargo total por qualquer período ou embargo parcial que não se enquadre nos restantes estatutos), o autor da dissertação deverá entregar uma exposição impressa que explicite a necessidade de um estatuto de excecionalidade, assinada pelo próprio e pelo orientador e/ou supervisor. A ausência da exposição invalida o embargo.
:: Ficheiro ZIP com todos os anexos e instruções ::


Prazos
A data de homologação pelo Conselho Pedagógico da Escola de Engenharia (CPEE) será a data de admissão a dissertação.
O requerimento de provas pode ser efetuado 3 meses após a homologação e não antes. É entregue na Direção de Curso (ou secretaria do DEB) impreterivelmente até ao último dia útil de outubro.
Salvo indicação em contrário, as dissertações corrigidas devem ser entregues à DC até ao dia 15 de dezembro (ou primeiro dia útil após esta data). A falta implica o não lançamento da pauta e a transição automática para o ano letivo seguinte.
Os alunos que tenham em falta para a conclusão do curso apenas a UC Dissertação, e que não entreguem o requerimento de provas até ao fim de outubro, devem inscrever-se nos SAUM no ano letivo seguinte. A propina que terão de pagar é calculada em função do número de trimestres decorridos, desde 1 de novembro, até à data de entrega do requerimento de provas.


    Direção de Curso

  • Diretor: João Peixoto
  • Universidade do Minho
    Campus de Gualtar
    4710-057 Braga, Portugal
    Tel: (+351) 253 604 411
    Fax: (+351) 253 678 986
    Email: mieb@deb.uminho.pt

Acesso ao Ensino Superior

Universidade do Minho
Campus de Gualtar
4710-057 Braga, Portugal
Tel: (+351) 253 604 593
Fax: (+351) 253 604 599